Pratas da casa - O
V O L T A R

 

RIO DE JANEIRO / RJ

O Grito

O Grito é um power trio de rock formado no Rio de Janeiro em abril de 2015, composto por Edu Raddi (bateria e vocal), Pedro Canuto (vocal principal e guitarra) e Bernardo Queiroz (baixo e vocal). A banda tem como principais referências outras bandas no mesmo formato como Os Mutantes e Jimi Hendrix Experience, mas ao mesmo tempo traz releituras de artistas distintos como Tom Jobim e Clube da Esquina.Participou de festivais internacionais como o “MECA”, no morro da Urca, e nacionais, como o “Solstício do som”. Participou também da montagem brasileira do musical “Across the Universe”, tocando ao vivo nas apresentações como banda de apoio do espetáculo e tendo o integrante Pedro Canuto como diretor musical do projeto. Em 2017, O Grito deu um grande passo ao conquistar o Budmecachallenge, ganhando através de votação popular a oportunidade de tocar no morro da Urca no festival internacional: MECAUrca, superando nomes respeitados como: “Céu” e “Boogarins” nas etapas de votação. Do rock à MPB, do clássico ao moderno. O grande objetivo é trazer vida ao cenário musical brasileiro com composições autorais, valorizando as letras e musicalidade e buscando sempre integrar e influenciar a cena independente.

 

BRASIL / BR

O Nervo

Formada por Fernando Felipe - Vocal, Vini Tertuliano - Guitarra, Diego Rocha - Baixo e Fabio Pereira - Teclado, a proposta da banda é levar o público aos mais diversos sentimentos, com uma pegada e sonoridade nervosa que deu origem ao nome da banda.

 

 CEARÁ

O Paco

Da sala de casa para o cenário Alternativo, a banda cearense O Paco trás elementos do Indie Rock com o Rock Brasileiro, com letras que falam sobre a vida e muita energia nas composições. A banda conta com um single de apresentação, chamado Janela e um EP de 5 faixas, intitulado Tudo tem um porque, nada é por acaso, ambos disponíveis nas plataformas de streaming.

 

 RIO DE JANEIRO

Old Rebels Band

Banda formada em 1985 para uma brincadeira em alguns shows feito naquele ano, volta a ativa em 2019 com muita energia pra tocar rock n' roll e rockabilly.

 

ALAGOINHAS / BA

Organoclorados

Banda de rock independente da cidade de Alagoinhas-Bahia, Brasil. Produz um som denso e enérgico, embora melodioso, com arranjos que tentam escapar do lugar-comum, combinando cadências dançantes com letras fortes. As principais influências vêm do pós-punk e gótico dos anos 1980 e da psicodelia dos anos 60, mas flertam com o blues. Nas letras, simbolismo, realidade e niilismo interagem na busca de maneiras únicas de expressar pensamentos, opiniões e sentimentos, às vezes com termos e paradigmas científicos para abordar temas do cotidiano, romances e reflexões ou críticas existenciais, sociais e ecológicas. André G (baixo), Alan Gustavo (guitarra), Artur W (guitarra, violão, voz), Joir Rocha (bateria) e Roger Silva (teclados e backing-vocal).

 

NOVA VENEZA / SC
 
 

Os Neuro Lépticos

banda de Nova Veneza / Santa Catarina.

 

RIO DE JANEIRO / RJ
 

Os Telas em Branco

Os Telas em Branco São uma banda de rock alternativo autoral formada em janeiro de 2020. Com apenas uma música lançada, por enquanto, a banda planeja se lançar no cenário do rock nacional munida de músicas autênticas e inovadoras. As duas maiores influências são o Rock Alternativo e o MPB, mas isso não limita a criatividade do projeto experimental e atual. As letras contêm mensagens de: positividade, reflexão, crescimento pessoal para que nossos ouvintes, a partir das músicas, reflitam e evoluam um pouco.

 

 GHANZI, BOTSWANA

Overthrust

The band was formed in 2008 in Ghanzi, Botswana.[1][2] The band currently consists of vocalist and bassist Tshomarelo "Vulture Thrust" Mosaka, lead guitarist Shalton "Spencer Thrust" Monnawadikgang, rhythm guitarist Tshepho "Dawg Thrust" Kaisara and drummer Balatedi "Beast Thrust" Folai. The previous drummer Gakeitse "Suicide Torment" Bothalentwa passed away in December 25th, 2018 after being hit by a car driven by a drunkard in a public bar in Ghanzi, Botswana. The band then replaced him with his uncle, Beast Thrust who was actually the very first Overthrust drummer and also had taught the late drummer-Suicide drums. Overthrust recorded their first single album "FREEDOM IN THE DARK" at Stux Daemon Studio in Tlokweng on April 10, 2011 and Recorded the second album in December 2014 at "Metal Records" in Gaborone, which was produced by Ivo Sbrana and Giuseppe Sbrana of Skinflint, this first full-length album Desecrated Deeds to Decease was then released in May 26, 2015.[3] The Katutura and Brutal Africa Splits and were released in March and September respectively. The latest Album "Suicide Torment" was recorded at Village Sound Studio by Leroy Nyoni and Mastered and Mixed in Florida at Indian River Music Company by Jason Banning.

 

MANAUS / AM

Oza

Oza é uma banda de groove metal formada em 2006 na cidade de Manaus. O grupo gravou uma demo no ano de 2008 e entrou em hiato 2 anos depois. Somente no final de 2019 os amigos decidem voltar e resgatar antigas canções dando uma abordagem mais moderna ao som da banda, vindo a lançar em outubro de 2020,o singlejudgmentday em seu canal do youtube, sendo o primeiro dessa nova fase e também a primeira música em inglês. Um álbum completo com 10 músicas está sendo produzido com lançamento previsto para 2021.

 

BETIM / MG

Ozome

Após uma pausa de quatro anos, a Ozome retorna para gravação de seu terceiro disco. Ainda sem título, esse álbum consolida a identidade que a banda buscou durante cd de estreia Etereofagia de 2008, produção de Peron Rarez e Gustavo Buzelin, a banda apresentou uma obra com raízes na cultura pop, elementos eletrônicos e tribais, na tentativa de se encontrar dentro do universo artístico musical. O Cd rendeu boas críticas e muitos shows em MG, SC, PE e AL, incluindo duas idas seguidas ao “Ferrara Buskers Festival” na Itália nos anos de 2008 e 2009. Em 2012, já com a atual formação, a banda lançou seu segundo disco, o cd A Grande Alma. Gravado em três dias, no Estúdio Minério de Ferro (Belo Horizonte/MG), foi produzido pela própria banda, com co-produção de Peron Rarez. Esse foi um trabalho de transição da banda, abandonando o universo pop e enveredando numa concepção mais agressiva, rítmica e melódica, fazendo a fusão do Heavy Metal de Minas Gerais com o Mangue Beat de Pernambuco. Com letras em português, percebesse uma abordagem mais poética com estruturas do cordel e do repente, tratando temas do cotidiano, comportamentos, questionamentos e experiências pessoais. Após seu lançamento, novamente a banda seguiu em turnê, participando de inúmeros festivais em MG, SP, RJ, DF, SE, AL e PE. Dentre eles destacamos, o “Festival Intercultural América do Sul”, que aconteceu em 2012 na Lapa (RJ), com 60 bandas participantes de todo o Brasil. Após seis meses de certame, a Ozome sagrou-se campeã do festival e como parte do prêmio viajou até Córdoba na Argentina para participar do show de encerramento do Grito Rock 2013. Durante esse período de inatividade, 2016 a 2020, a banda não parou o seu processo criativo, nesse período, novas músicas foram compostas dentro do espectro do Metal e do Mangue. No segundo semestre de 2020, a Ozome se prepara para gravar seu terceiro Cd. Para os integrantes da banda, esse será o trabalho mais audacioso e criativo, de grande atemporalidade e com músicas genuinamente atuais onde a banda afirma, definitivamente, sua identidade musical através do amadurecimento pessoal e do grupo.

 

V O L T A R
RADIO PLANO B